quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Domaine Sainte-Marie

Templo do vinho, galeria de vinhos, uma das melhores do mundo... 

Essas eram algumas das frases que ouvíamos quando nasceu a Domaine Sainte-Marie, inaugurada junto com o Shopping D&D em setembro de 1995.
Incrível é que buscando sobre a loja nada encontrei, nenhum registro, nenhum rastro, apenas duas citações na folha de São Paulo (uma entrevista que dei, outra do querido Jorge Carrara ). Digo incrível, por que deveria ser um local reverenciado como um modelo, como templo mesmo e principalmente pela história que foi feita naquele lugar.



Em junho de 1995 fui contratado pelo excelente Geraldo Brasil para integrar a equipe de gerentes de contas comandados por Elídio Lopes Cavalcanti, o Lopes, e trabalhar no empório mais badalado de São Paulo, o Empório Santa Maria, dos empresários Otávio e Tânia Piva de Albuquerque. 
Não tinha a menor ideia do que fosse vender vinhos caros, muito menos que consumidores alcançaria ainda mais por telefone e mala direta, mas esse era o cenário de um jovem de 25 anos recém saído da maior rede hoteleira do mundo, o Hilton.
Grandes colegas de trabalho que são referência nos dias de hoje em se tratando do mercado de vinhos, e um em especial, Ângelo Pelegrino, o Pelê. Esse cara já vendia vinhos por quase uma década e sabia tudo, não de vinhos, mas de como chegar e vender, além de ser um cara espetacular. Foi com ele que aprendi os primeiros nomes dos grandes vinhos e que sim tinha público para comprar o famoso Romanée-Conti.
Quando estava começando a gostar da rotina, de ir trabalhar na famosa Av. Cidade Jardim, vem a surpresa, tinha sido um dos 4 escolhidos para trabalhar na loja que ia abrir, num shopping que ia abrir, o D&D, na Berrini. A loja? Domaine Sainte-Marie


O projeto era magistral, ambicioso, do arquiteto e decorador Sig Bergamin, tudo ali era ícone e de muito bom gosto. O verde remetia a loja inglesa Harrods, assim como a comunicação que viríamos a usar, o espaço era amplo, 500 m2 suficientes para abrigar cerca de 25 mil garrafas e também uma adega climatizada a 140C para cerca de 1.000 garrafas dos melhores e mais caros vinhos do mundo. Não bastasse a loja havia ainda um “anexo” chamado café Domaine, o primeiro wine bar do Brasil, com serviço de vinhos em taça graças e a cozinha comandada pelo recém chegado chef francês Emmanuel Bassoleil. 

Tudo ali era charmoso e bem acabado, madeira para todo lado, uma serralheria de primeira, vinho acondicionados num aramado de cerca de 3m de altura no mezanino e ainda uma imponente sala de degustação para cerca de 40 pessoas. Trabalhamos muito e em não muito tempo a loja era responsável por quase a metade do público que se dirigia ao Shopping. Café Domaine e Domaine Sainte-Marie era um “point” nos final da década de 90, artistas, jornalistas, políticos, famosos, celebridades como Ed Motta frequentavam muito. Particularmente tive várias oportunidades de bater longos papos com cada uma dessas pessoas, que não raramente passavam horas, na loja ou no café.

Fiquei por quase 3 bons anos, depois disso, algum tempo após minha saída a loja ficou menor, mudou de nome para Expand e assim como o café fechou.
Às vezes penso que tudo foi audacioso demais para o momento em que vivíamos. Mas eu fui muito feliz, aprendi, me diverti muito e sou eternamente grato! 

 1-loja, 2-dentro da adega climatizada, 3-com Roberta Mitsuda (fotos de 1996)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...