quarta-feira, 8 de junho de 2016

El Niño – Aumentando seu Prazer

Estamos a menos de um mês do inverno em nosso hemisfério e segundo as previsões em função do fenômeno “El Niño” esse ano teremos uma estação mais fria e chegando ainda mais cedo.  
O fenômeno deste período é comparado ao de 1997/1998 e lembro que fez muito frio, nesse período estava de passagem em Curitiba e por lá bateu -1°C, com uma sensação térmica de -5°C, não que Curitiba não faça frio, mas nos últimos anos essas temperaturas atingem com muito menos frequência, mas naquele ano se fez por muito mais tempo e com a mesma intensidade. 

Você já deve estar imaginando passando por essa estação, com belos vinhos e ainda com os dois dias da mais charmosa do Brasil – a ExpoVinhos de Vitória. É bem isso que proponho, já é hora de aproveitar a estação mais convidativa do ano para os excelentes e encorpados tintos, acompanhados por pratos mais condimentados, queijos e tudo mais que o inverno nos proporciona. Aquele final de semana na serra com direito a foundue, pode ser uma bela opção antecipada, ou até uma viagem a Patagônia (Argentina) onde esse clima frio deve intensificar ainda mais e por lá beber seus belos Pinot Noir acompanhados dos seus excelentes cortes de carnes.

Enfim o frio até assusta muita gente, nos faz ter aquela preguiça de ficar em baixo do cobertor, e pode até ser mais uma alternativa: lareira, cobertor, foundue e uma tacinha de tinto, ou um fim de noite com um bom Cognac ou o incomum Pineau des Charentes. O que fica é ideia que podemos aproveitar o melhor da estação e já que será prolongada, podemos desde já abastecer nossa adega e ir lentamente consumindo até que a primavera chegue.

Dicas de consumo:
Pineau des Charentes Louis Royer rosé, vinho fortificado da região de Charents (França) feito à base de conhaque e suco de uvas, nesse caso Merlot e Cabernet Sauvignon, com doçura adequada e mais leve que um porto, para se beber como aperitivo (até gelado) ou acompanhando a sobremesa. Na faixa de dos R$ 250.

Conhaque: Esse destilado à base de vinho, feito originalmente em Cognac (França) é apresentado em diversas formas, variando suas uvas e tempo de passagem em madeira. Usado também na alta gastronomia para cocção ou para flambar frutas e sobremesas é uma bela pedida para o fim de noite. No Brasil temos vários à disposição, seu preço está relacionado a esse tempo de passagem em madeira, sendo os de boa qualidade não inferior a 2 anos. Conhecido também como Brandy caso do espanhol Osborne, é um produto com muitas opções de preço, mas com sabor bem aprazível.

Um bom “começo” de inverno!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...