sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Olimpíada Rio 2016 – A trajetória do Vinho!

Hoje começa a Olimpíada Rio 2016 e pela primeira vez na história sediamos o mais importante evento esportivo mundial. 
Com certeza viveremos momentos festivos, comemorando medalhas, recordes e a presença dos mais renomados atletas do planeta.

Mas o que tem os jogos olímpicos em comum com os vinhos?  Bem,  o berço grego responsável pelos primeiros jogos é também responsável pelo grande avanço do consumo e das grandes descobertas que impulsionaram o desenvolvimento do vinho como conhecemos hoje.

O vinho sempre esteve presente nas comemorações esportivas, nas vitórias, nas derrotas, pelos esportistas, pelos que assistem e nos dias atuais ganham brilho de apoiadores ou licenciados oficiais. Sim, o vinho é também um personagem importante nesses eventos e no caso da Olimpíada contribui para o resultado econômico e prazeroso dos jogos. Ocorre que parte do que se arrecada vêm dos produtos licenciados, aqueles que vêm com o selo oficial dos jogos. 
Nesse quesito o Brasil participa, e muito bem, já pela segunda vez ganha uma medalha de ouro.
Acontece que os vinhos que representam os jogos Rio 2016 são da excelente vinícola brasileira Lidio Carraro, reconhecida pela revista inglesa Decanter como a melhor vinícola brasileira. 

Os vinhos com  o rótulo Faces foram escolhidos para essa festividade esportiva e agrega ao evento 7 vinhos e mais uma coletânea comemorativa. No entanto, o que nos chama atenção é que, como todo atleta, o vinho brasileiro fez por merecer esse lugar no pódio.
Essa não é a primeira vez que temos os vinhos brasileiros em eventos desse porte. Essa história começa em 2007, lembro bem minha amiga Fernanda Teixeira comemorando seu belo trabalho, pois a empresa que trabalhava (a própria Lidio Carraro) seria fornecedora oficial dos jogos Pan Americanos, fato que se repetiu na Copa do Mundo do Brasil, no último Rio Open de Tênis e também na Olimpíada de Londres, mas dessa vez pela também excelente vinícola Miolo.

Em 2012, para a Olimpíada de Londres a Miolo teve que correr para vencer seus concorrentes, mas conquistou seu lugar ao lado de dois vinhos sul africanos com seu Seival Shiraz/Tempranillo da safra 2012.

Realmente é uma escolha realizada debaixo de diversos critérios criados pelos comitês organizadores dos respectivos órgãos (FIFA, COI, ATP...). Esses critérios são técnicos e também pelo conjunto da obra, muitos participam, mas na maioria dos casos emprestar esses selos significa também atestar a qualidade da marca como um todo, por isso não só o vinho concorrente é avaliado, mas também todo o trabalho e a linha dos produtores.

Podemos dizer que é sim um orgulho termos esses vinhos representando esses mega eventos.

Os vinhos da Olimpíada Rio 2016 são:
  • Linha Faces com o tinto (Merlot), o branco (Chardonnay) e o rosé (Pinot Noir), uma linha jovem, aromática e refrescante e também os espumantes Brut Rosé, Moscatel e Brut, elaborados, respectivamente, com as uvas Pinot Noir, Moscato e Chardonnay. Todos na faixa dos R$ 50,00.
  • PAX, o sétimo vinho, o ícone criado para o evento com produção de 2.016 garrafas, está sendo lançado hoje. O PAX faz alusão ao símbolo da paz e ao espírito que move a realização dos jogos olímpicos ao longo de sua história, a empresa garante que seu vinho da safra 2012 faz por merecer a medalha (banhada a ouro) que compõe a rotulagem da garrafa.


A empresa ainda criou um rótulo comemorativo o Coletânea Rio 2016 (edição limita a 6.840 garrafas), em realidade são 6 rótulos diferentes para um mesmo vinho representando as 6 modalidades olímpicas e a superação de limites do homem. Elaborado a partir de um corte de cinco variedades (Tempranillo, Cabernet Sauvignon, Alicante Bouschet, Merlot e Cabernet Franc).

Bons Jogos!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...