Mostrando postagens com marcador Turismo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Turismo. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 24 de abril de 2019

📌Vitoria Expovinhos 2019

Estamos há menos de um mês do mais charmoso evento de vinhos do Brasil: Vitória Expovinhos em sua 11ª edição.

São esperados mais de 60 expositores, cerca de 3.000 participantes nos dois dias da exposição.

Farei parte do juri da tradicional premiação TOP5 (que premia os 5 melhores produtos em 6 categorias).

Reserva a data e o ingresso!


santucci #descomplicandoovinho #vitória #vitoriaexpovinhos #top5 #centrodeconvencoes #feiradevinhos #vinho

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Vinho do Atacama - Ayllu


No meu diário de bordo desse início de ano registrei minha vontade (frustrada) de visitar uma vinícola no Atacama (Chile). Estava de férias, mas tinha incluído essa possibilidade. 

Trata-se da Viña Santa Romina que fica em Toconao.  

A história nos conta que com a chegada dos espanhóis na região e a tentativa de evangelizar os atacamenhos (ou lickan antay) introduziram as primeiras videiras há mais de 400 anos para obter vinho para a realização das cerimônias religiosas.

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Chile - Terra do Vinho, Cobre e...da Palta!

Nesse feriado prolongado (de São Paulo) fui ao Chile, a convite da vinícola Requingua
Requingua na língua mapuche significa "Rincón de los Vientos"(canto dos ventos), uma descrição perfeita para o clima mediterrâneo do Vale do Curicó, onde quase a totalidade de suas vinhas estão localizadas e onde fiquei hospedado. 

Na quinta 25 mesmo fiz uma das melhores visitas em vinícola, graças ao competente enólogo chefe, o francês Benoit Fitte. O comum nessas visitas é conhecermos as vinhas, a bodega, sessão de barricas e a expedição. O que a fez melhor foi a bela recepção e as explicações, respostas e a maioria dos “segredos” revelados. A sequencia ainda mais memorável vem da presença dos Santiagos - o pai que fundou a vinícola em 1961 e o filho Santiago segundo, quem toca a empresa e já prepara a sucessão, uma vez que  família já tem entre seus membros Santiago terceiro e quarto – que nos brindaram com o excelente Toro de Piedra (uma alusão a escultura feita por pedaços de pedra – por cerca de R$ 65), começando com um espumante Chardonnay (ainda não disponível no Brasil), seguindo do Petit Verdot / Cabernet Sauvignon acompanhados por queijos locais e o camarão ao alho flambado com pisco (chileno e não peruano – uma pequena discussão para saber que inventou). 

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Gramado, seus encantos, charme e bem viver!

Nesse ultimo final de semana estive visitando Gramado (RS), uma bela estância turística e por que não dizer muito bem preparada para o próprio turismo. Hotéis em vários pontos, muitos bem charmosos, fiquei em um bem assim o “ValleD’incanto” (um verdadeiro encanto) e uma grande opção de atrações enogastronomicas, uma bela casa que é cinema, restaurante e balada chamada Magnólia Cine Gastro Bar, ambientada ao estilo retrô (queria ver algo assim em São Paulo), inclusive uma bela loja de vinhos só brasileiros e uma loja especializada em azeites (leia aqui).

no Josephina Restaurante
Bons restaurantes com opções de até gastronomia tibetana, mas o que vale muito a pena são as cartas com bons rótulos e claro, vinhos brasileiros. Provei vários e ainda tive tempo para visitar uma vinícola; a Ravanello, bem perto, fácil de chegar. Ainda uma vinícola pequena, com uma loja, porem com instalações adequadas e com produção local de uvas e vinhos, exceção as cepas Chardonnay, Tannat, Pinot Noir e Teroldego, provenientes de Campos de Cima da Serra, Serra do Amarari , Campanha Oriental e Encruzilhada do Sul.
Lá provamos seus espumantes, o Cabernet Sauvignon e o Merlot da linha clássica. No ultimo almoço o Chardonnay de Campos de Cima, belo vinho com expressão de terroir e tipicidade.

Ainda me interessei pela Vinícola Casa Seganfredo, mas essa ficará para a próxima visita.

Visite Gramado e Canela!

Paraná é Rota de Vinhos!

Encontrar amigos e beber bons vinhos é algo prazeroso, quando casual deixa o encontro animado e descontraído, porém realizar um encontro profissional em torno do vinho, é esperado ser mais sisudo, essa com certeza não foi a impressão. A Confraria Vinhos do Brasil abriu nesse último dia 14 seu segundo ano de atividades com uma bela reunião, séria, pauta bem definida, porém num ambiente muito favorável, um verdadeiro encontro entre amigos, um encontro de Confrades!

O tema, Vinhos do Paraná, explanado pelo confrade Daniel Rugani trouxe muitas surpresas ao grupo: Saber que o Paraná produz tanto quanto a importante histórica, porém ainda emergente região do sul de Minas Gerais deixa claro que o Brasil vem constantemente modificando seus cenários e seus atores, produzindo novidades em vinhos que podem se destacar em poucos anos - é o caso dos vinhos de Santa Catarina, que em menos de uma década explodem em qualidade e repercussão. Curioso ainda saber que há uma considerável concentração de produtores na região metropolitana de Curitiba, em um raio de apenas 40 km podemos encontrar boas instalações e vinhos, e graças a essa concentração uma rota do vinho está pronta. 

sábado, 16 de janeiro de 2016

Vamos à Colheita?

A partir de hoje começa uma das datas mais esperadas para o mundo do vinho no Brasil e assim como acontece em outros países do hemisfério sul é a partir de janeiro até março e eventualmente inicio de abril, que acontece o nascimento dos belos vinhos: a colheita das uvas!
Para o produtor é a hora da verdade, de muita ansiedade e apreensão, pois apesar de todos os cuidados durante o ano, quem manda mesmo é a natureza. Se chover muito nessa época corre-se o risco de se perder uma parte da colheita, além de ter que adiantar colheita, porém se tudo vai bem com o clima o enólogo tem tempo para trabalhar e escolher o melhor momento para colher, escolher o momento em que a uva atinja o melhor grau de maturação para o vinho que deseja fazer.