terça-feira, 23 de setembro de 2014

A Roda Astrológica do Vinho


 Dizem os astrólogos que vivemos a era de aquário, um período onde as pessoas vertem suas águas, ou simbolicamente, deixa seus sentimentos fluírem, ainda na posição de joelhos o que nos remete à figura da humildade. Fevereiro foi o mês dos aquarianos, além desse que escreve temos muitos outros. À minha volta estou cercado, é provável que à sua também tenha. Os estudiosos no tema se referem aos aquarianos como aqueles que estão à frente do seu tempo, vivem no mundo das ideias, mas são amorosos e dedicados.

Esse assunto veio à baila e me peguei pensando que não tinha pensado em uma relação astrológica com os vinhos, mas se os vinhos biodinâmicos estão tão ligados a diversos mistérios, será que os astros influenciam nos vinhos ou nas uvas?

Comecei a pensar nesse paralelo, se um vinho fosse...



Peixes
– os românticos e indecisos, penso na uva Carménère, dificilmente encontramos um vinho igual ao outro e mesmo com características comuns, parece que eles pedem mais uma uva acompanhando. Eles são exuberantes e vivos, ricos de frutas e cor, realmente intensos!

Áries – os decididos, guerreiros! Malbec vai bem com essas características, são sempre vinhos para toda hora, acompanham bem muitas harmonizações e vão direto ao ponto.

Touro – os seguros e fortes. Chardonnay, nada mais tranquilo que escolher um branco de chardonnay. Normalmente sabemos bem que não vamos jogar dinheiro fora. São os brancos mais fortes e dificilmente mudam.

Gêmeos – os falantes e multifacetados. Shiraz ou Syrah vão sempre bem, se adaptam em muitas línguas, podem ter um estilo mais leve ou mais pesado e dificilmente passam despercebidos.

Câncer – o família. Sauvignon Blanc cabe em muitas ocasiões vai da entrada a alguns pratos dando aquela sensação de tudo perfeito, leve, mas nem tanto, rico em frutas, mas com aquela acidez que se faz presente.

Leão – chega, chegando, o sol – não teria outro senão a Cabernet Sauvignon, faz o rei dos tintos, sempre potente, alegre e muito colorido.

Virgem – o certinho. Prosecco, sempre organizadamente apresentado da mesma forma. Leve e limpo, despretensioso, mas presente.

Libra – o equilibrado, o Tempranillo. Vem fortes ou leves, mas sempre com aquela sensação de taninos na medida certa, madeira bem integrada quando necessária, na boca e no nariz unidos.

Escorpião – o exuberante, sexy. Uma classe de vinhos: Rosés! Vinhos de alma, leves como os brancos no inicio e suculento como os tintos no final. São ecléticos e agradáveis, sexy em muitas situações!

Sagitário – o aventureiro. Pinotage, tão híbridos quanto um sagitário, fortes e delicados, brutos e belos tudo ao mesmo tempo. São intensos e viajam o mundo para mostrar seu imenso valor.

Capricórnio – o teimoso. Cabernet Franc, estão lá, imutáveis e intensos. Vão sempre bem e emprestam sua força para deixar os vinhos mais integrados e robustos, mas não se entregam nunca.


Aquário – o mundo! Tudo cabe ao aquariano, mas são únicos: Pinot Noir, dificilmente conseguem ser ao menos imitados, repetidos nunca. São sutis e elegantes, inteligentes e provocativos, descem como veludos e de um equilíbrio intenso.

Interessante como o vinho se assemelha à vida e a ele sempre cabe uma visão de mundo, uma filosofia ou simplesmente um bom bate papo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...